Fui furtado em um hotel na Alemanha

postado em: Alemanha | 11

No meu último post no blog eu estava em Utrecht na Holanda e isso já dá uns bons dias sem postar nada. O motivo é que levaram várias das minhas coisas do Hostel em Frankfurt. Vou explicar melhor o que aconteceu e por onde andei nos últimos dias.

Semana passada, em Utrecht, eu estava decidindo qual seria o meu próximo destino. Como República Checa é um dos lugares que eu certamente vou passar, procurei por algo que estivesse no caminho. Sem muita pesquisa achei que Frankfurt seria interessante e decidi passar uns dois dias lá.

Em vez de ir de trem, utilizei um site chamado Blablacar. Nele você diz onde está e pra onde quer ir e encontra alguém que vai de carro pro mesmo lugar, o motorista diz quanto quer para pagar uma parte das despesas e todo mundo fica feliz.
Eu peguei uma carona que me custou cerca de um quarto do preço de uma passagem de trem. Meu motorista foi o Lewie, um cara da Etiópia que mora na Holanda e quase toda semana faz a viagem de Amsterdam pra Frankfurt pra encontrar a namorada que mora na Alemanha (!).
Tudo certo na viagem, tudo certo no meu primeiro dia em Frankfurt. Mas o segundo não foi tão bom. Saí do hotels por volta das 12 horas para caminhar pela cidade, quando voltei, lá pelas sete, percebi imediatamente que alguém tinha mexido no meu locker.
Dentro não estava mais meu laptop nem a doleira com meu dinheiro e passaportes.

Na hora fui na recepção para chamar a polícia que chegou não muito tempo depois. Expliquei tudo pra eles, mostrei de onde minhas coisas foram furtadas e peguei o BO ou, em simples alemão, Bescheinigung über Erstattung einer Anzeige. O que eles falaram não foi diferente do que eu ouviria no Brasil: pouco provável ver minhas coisas de novo.

image

Quem nunca ficou em um hostel pode imaginar que é um lugar onde isso é comum, mas a verdade é que é muito improvável e eu dei muito azar.
No hostel que eu estava só podia passar pra área dos quartos quem mostrasse um cartão com nome e datas de estadia, pra entrar no quarto só com o cartão que abria um única porta e dentro do quarto cada um trava suas coisas com cadeado dentro de uma caixa grande o suficiente pra colocar todas as suas coisas. A falha é que ter bandido não é exclusividade brasileira e eu dei azar de este ter caído no mesmo quarto que eu. É muito comum as pessoas não trancarem nada no quarto e nada acontece.

Apesar de obviamente ter ficado furioso por ter sido roubado, eu não me abalei muito, no fim das contas são só coisas que podem ser adquiridas de novo.
Me incomoda ter perdido quase todos meus vídeos de viagens passadas e umas 25000 fotos, mas eu estava em todos esses lugares pra tirar as fotos ou fazer os vídeos e as lembranças ninguém rouba.

A providência imediata foi fazer um novo passaporte, já que eu precisava continuar viagem. Por sorte Frankfurt tem um consulado brasileiro e o atendimento lá me surpreendeu.
Quando eu li na página do Itamaraty tudo que precisava pra tirar um novo no prazo de 10 dias úteis pensei que ficaria um bom tempo em Frankfurt pra resolver.
Acabei indo no consulado só pra ver o que eu poderia fazer pois meu único documento era a carteira de motorista. O pessoal do consulado foi perguntado o que eu tinha e sugerindo o que dava pra fazer pra agilizar, de endereço de fotógrafo até como conseguir fazer um pagamento pra compensar na hora.
image

No fim das contas dei entrada na nova solicitação um pouco depois das 14 horas e 15h30 já tinha um passaporte novo. Com isso comprei minha passagem de trem de Frankfurt pra Nasdorf para o próximo dia.

Sobre Nasdorf, ou Langenleuba-Oberhein para ser mais preciso, eu falo no próximo post.

Compartilhe este post:
Share on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Pin on Pinterest0Share on Tumblr0Share on StumbleUpon0Email this to someone
Seguir Rodrigo Belasquem:

Depois de algumas curtas viagens pela América do Sul achou que 10 dias não eram suficientes para conhecer muita coisa. Largou o emprego e viaja pelo mundo conhecendo lugares, pessoas e fotografando nas horas vagas (que são todas).

11 Respostas

  1. […] Quando eu comecei minha viagem de volta ao mundo imaginei que alguns imprevistos aconteceriam, porém a última coisa que eu esperava era que levassem meu laptop, passaporte e dinheiro logo na Alemanha, que em geral é um país muito seguro. Mas aconteceu. […]

  2. Rodrigo.
    Tomei um ferro proficional quando apareceu o pen drive.
    To guardando tudo no Dropbox.
    abç.

    • É o melhor mesmo, acaba o risco. Eu estava usando mas como as fotos ocupam muito espaço eu assinei um outro serviço chamado crashplan. O problema é que tinha acabado de iniciar o backup então só salvou 3%. No próximo vou tomar mais cuidado com isso.

      Abraço.

  3. Tu demorou uns 15 min só pra digitar o nome desse BO!
    Kkkkkk
    Abraço e boa continuação de viagem gem

  4. “as lembranças ninguém rouba..” é isso aí! faz parte do aprendizado da viagem.

    Abraço!

  5. Malu ( san andres)

    Poxa Ro que bosta! mas bom que isso nao te abalou, isso acontece mesmo! como te disse levaram minha camera qnd estava na bolivia, perdi todas as fotos do Salar mas as memorias estaram sempre cmg! Bola pra frente pq a viagem nao para!

    Xoxo

  6. PQP que azar da porra! Sorte aí Rodrigao!!!

Deixe uma resposta para Paulo Bento Cancelar resposta